quarta-feira, 6 de abril de 2011

Gosta-se à chuva e ao sol.



“Quando se gosta, gosta-se da esquerda para a direita, da direita para a esquerda. De cima para baixo, de baixo para cima. Na diagonal. A cores. A preto e branco. A guache. A acrílico. A marcadores, a grafite, a caneta preta, verde e roxa. De pernas para o ar, de braços esticados. A fazer o pino, a cambalhota, a roda, a rodada. Gosta-se a plasticina, a carvão, a quente, a frio. A congelado, a escaldar. Gosta-se bem e mal passado. Gosta-se a correr, a caminhar. Gosta-se à chuva e ao sol. Gosta-se a rir, a gritar, a chorar, a falar, a berrar. Gosta-se às trincas, às garfadas, às colheradas. Gosta-se com prato e sem prato. Gosta-se com musica, com desenhos, com pinturas. Gosta-se com baton e com rímel. Gosta-se de olhos abertos, de olhos fechados, no escuro e à luz. Gosta-se por tudo. Gosta-se por nada. Gosta-se.”

Obrigada por seres o meu porto de abrigo, obrigada por me puxares pra cima quando me encontras no fundo , obrigada por não seres só um sonho mas sim uma realidade, Obrigada pela amizade ,  És tu,  que em todos os momentos estás lá para mim, e em vez de me secares as lágrimas, simplesmente nunca as deixas cair, obrigada por seres a paz de espirito que preciso em certos momentos, por me dares a tranquilidade e protecção que necessito , e por me acalmares com a tua simples voz , obrigada por seres o meu aconchego , o meu ombro amigo ! e de ti irei sempre gostar das maneiras referidas ali em cima e mais algumas , seja de que maneira for e como for, és mais que um calmante, mais que uma necessidade,melhor que uma vodka,  mais que uma droga, es um vicio, o meu vicio. D